não, não tem problema, pode tirar o sapato.

(senta aí. tem coca na geladeira e cuca de quechimia no forno)

segunda-feira, 12 de abril de 2010

magistratura é uma palavra e tanto, sempre achei.

esta tarde fui ser testemunha de um processo que uma ex-vizinha está movendo contra a vivo. coisa que envolve reformas, festas e demais barulhos que os caras da empresa fazem durante a madrugada e que me deixavam louca, deixavam no passado e ex-vizinha porque mudei de lá, não porque pararam ou porque a mulher mudou. a mim e a todos os moradores da banda, vale lembrar. depois de muito atraso, juramento e algumas perguntas estúpidas (do juiz) o advogado do réu pediu a palavra.
advogado da vivo: senhora debora, a senhora afirma que realmente havia uma série de barulhos e que os mesmos causavam transtornos ao sono do seu filho, estou certo?
eu: sim, você está certo, senhor advogado. eu afirmo isso aí, mesmo.
advogado da vivo: eu gostaria apenas, para entender, que a senhora então me respondesse se chegou a medir com um decibelímetro o nível de som que vinha do prédio durante as noites? chegou, senhora debora? e quais foram exatamente as noites em que seu filho não conseguiu dormir? que dia do mês? dia e hora, senhora debora? e pra terminar, senhora debora, eram barulhos de calhas? piso? madeira sendo retirada?
*
*
pedi pro juiz se ele podia me liberar antes que eu vomitasse. ele liberou e eu fui embora.

6 comentários:

Insana disse...

Mediu sim...claro que mediu..eu também mediria,
afinal de contas, quem de nós não tem ali, a mão um decibelímetro, pro caso de algum vizinho fazer barulho... ticontá, viu
Beijos

:: Consuelo :: disse...

Nessas horas só um VTC para desopilar viu !!!

ditavonclaire disse...

foi uma das cenas mais bizarras da minha vida, certamente. aquele homem todo esquisito me olhando e fazendo essas perguntas...não moro lá há mais de seis meses e o ocorrido foi há mais de um ano, e claro que ele sabia, ai o cara me pergunta data e hora? vai se foder.

Débora disse...

É por essas e outras que a palavra JUSTIÇA virou piada nesse país!

Cara, e o pior é que esse tipo de advogado se leva a sério!

isabel alix disse...

Que que eu posso te dizer? Qual é o profissional sério que, tendo por trabalho realizar uma solenidade, deixa um outro suposto profissional sério fazer essa palhaçada?
Faço meu trabalho direitinho, mantenho meu nariz limpinho. Mas fica muito difícil defender quem quer que seja quando todos se comportam desse jeito frouxo e achincalhado.

ditavonclaire disse...

isabel, isabel.
tu é foda, gata. por deus.
não ficava naquele lugar, digo trabalhando, por nada desse e de outros mundos.
e as moças, de saltão, perfumão, cabelão e sainha arrastando aqueles carrinhos de processo pra lá e pra cá? e pra lá e pra cá? com cara de quem tá fazendo grande coisa à humanidade. vamo si respeitá.